quarta-feira, 16 de março de 2011

Dormindo com o inimigo







Hoje, por pura falta do que fazer estava assistindo ao programa “Casos de Família” com Cristina Rocha.
Hoje estavam apresentando casos de mulheres que, supostamente, apanham de seus maridos.
Eu disse supostamente, pois todas disseram em entrevista particular que apanhavam, mas não confirmaram isso perante as câmeras e aos maridos.
Todas mostraram um medo categórico de admitir que apanhavam constantemente.
Mas o que o programa ofereceu a elas?
-“Olha, você vai lá, fala que seu marido é um crápula, que te bate todos os dias e depois sai de mãos dadas com ele e vai para casa.”
Lógico que isso não ia acontecer!
“Lei Maria da Penha nele!”
Gente, isso não é tão simples: A mulher denuncia e não tem lei que proíba o homem de entrar na casa IMEDIATAMENTE após a denúncia.
“Se ela se sentir ameaçada por ir provisoriamente para uma casa abrigo.”
Lógico, existe uma em cada bairro e com VAGAS!
Eu conheci uma mulher que, depois de apanhar 18 anos do marido (e do sogro), resolveu denunciar. Registrou 1, 2, 3 queixas, entrou com a separação de corpos (que só saiu 1 ano depois e, quando ela saiu, o marido quebrou a perna dela para comemorar).
Esses dias ainda vi a irmã de uma mulher assassinada pelo marido, mostrar 4 boletins de ocorrência!
A mulher denuncia, muitas vezes abandona a casa e vai viver com parentes e nada muda, pois não há como evitar que o agressor venha visitar os filhos e faça nova ameaça.
Muitas vezes, ainda desperta mais ódio e a situação fica ainda pior.
Mas o que fazer então?
“A senhora registrou uma queixa, um policial irá lhe acompanhar até a sua casa para que a senhora possa retirar tranquilamente seus pertences, enquanto seu esposo será trazido à delegacia para prestar depoimentos, e depois será encaminhada a uma casa de custódia, onde ficará em segurança enquanto o processo é julgado.”
Plac, plac, plac...
UTOPIA!
“A senhora registrou queixa? Então Fo...”
Uma das entrevistadas no programa de hoje chegou a se retirar quando a apresentadora revelou que ela, em entrevista que ela afirmara que o marido lhe batia todos os dias.
Se amanhã ela não fizer parte da página policial dos jornais paulistas, mãos para o céu!
Vamos parar com a hipocrisia de afirmar que a mulher tem que denunciar e que tudo vai se resolver com isso!
Não estou afirmando que a mulher não deve fazer nada, não é isso, só estou dizendo que antes de denunciar tem que se preparar para depois não ser obrigada a voltar a delegacia e retirar a queixa.
Talvez fosse o momento de se criar uma ONG para amparar mulheres que denunciam seus maridos e que não tem condição de “fugir” deles. Talvez até criar REALMENTE casas de custódias, onde mulheres ameaças fossem levadas para outro estado, com um emprego e vida nova.
Era preciso um trabalho sério de amparo à mulher em risco e não uma lei que não te garante nem mesmo um enterro digno depois da denúncia. 




Abaixo o vídeo do programa mencionado. Não deixem de assistir e dar suas opiniões.




video










Imagem: Google

8 comentários:

Roderick Verden disse...

Katia, ótimo post!

Homens q batem em mulheres deveriam ser linchados. É uma covardia sem tamanho.

Muitas de nossas leis são vergonhosas. Homem que bate em mulher não é homem!

Ligéia Alone disse...

A violência contra a mulher é uma vergonha mundial. Basta ver as condenações por apedrejamento. Vi na Tv uma mulher dizendo que a propria delegada na delegacia da mulher (não me lembro de onde) a tratou muito mal, dizendo: vcs reclamam mas depois estão com eles de novo!

Katia Cristina disse...

Roderick

As leis são boas, o grande problema é a falta de aparato para que elas funcionem.

Katia Cristina disse...

Ligéia

Mas sabe por que ela volta a morar com o marido?
Por que ela faz a denúncia e depois tem que ir para casa conviver com o marido.
Se a mulher fizesse a denúncia e um policial fosse imediatamente prender o marido, pelo menos para prestar depoimento a história seria outra!

Ligéia Alone disse...

Sim, concordo, é verdade, até porque, para onde a mulher vai, senão pra sua casa? Mas a própria delegada parece não saber disso. Será preciso a tal delegada tomar uns tapas para saber o que é? Violência para ajudar a combater a violência?

Katia Cristina disse...

Parece que vivem numa realidade paralela!
Denunciou? Agora vai para casa e mostra o BO para ver se ele te mata de uma vez, pq medo não causa!
Alguém vai lá chamar o cidadão para a delegacia? E se for, depois ele não vai estar solto para fazer o que quiser?
Por favor!
Mulher registrou queixa, tira ela do risco!

Roderick Verden disse...

Não concordo com vc, Katia. Nossas leis são muito brandas, amenas demais pro meu gosto.

Katia Cristina disse...

Roderick

O problema é a morosidade em que se aplica.