sexta-feira, 23 de julho de 2010

Casa no campo





Impulsionado pela música Casa no Campo de Zé Rodrix, meu marido resolveu nos mudar para mais perto do campo, porém, depois de 13 anos morando no local, eu agora gostaria de fazer a minha análise da música:


Casa no Campo

Composição: Zé Rodrix / Tavito

“Eu quero uma casa no campo
Onde eu possa compor muitos rocks rurais”

Nesse ponto exato fico imaginando o Zé Rodrix sentado ao piano procurando a nota certa para dar continuidade à sua música quando um enorme peru berra.
Pronto! Tem que começar do início!

“E tenha somente a certeza
Dos amigos do peito e nada mais”

Isso é realmente engraçado, pois quando você se muda para longe e um amigo aparece para te visitar é porque é teu amigo mesmo. Ninguém dirige quilômetros para visitar alguém de que não goste muito.

“Eu quero uma casa no campo
Onde eu possa ficar do tamanho da paz”

Depende do que se considera paz ou início da loucura, pois quando o único som de vida humana que você ouve vem de você mesmo é quase de enlouquecer.

“E tenha somente a certeza
Dos limites do corpo e nada mais”

Isso realmente a gente consegue, pois tem um monte de mato em volta que você tem dar cabo para não se sentir o Tarzan no meio da selva e não consegue uma pessoa eficiente para fazer isso. Também tem a lama, a falta de esgoto...

“Eu quero carneiros e cabras pastando
Solenes no meu jardim”

Daí se vê que ele nunca esteve ou chegou a ter uma casa no campo, pois as duas coisas são antagônicas, pois ou se tem cabras e carneiros ou jardim. Essa praga come até plantinhas em vasos.

“Eu quero o silêncio das línguas cansadas”

Só se é por não ter com quem conversar, pois você longe de tudo e de todos começa a fica pobre e burro.

“Eu quero a esperança de óculos
E um filho de cuca legal”

Só porque você mora isolado não quer dizer que seu filho vai ser um nerd ou que não vai pensar em fazer besteira.

“Eu quero plantar e colher com a mão,
A pimenta e o sal”

Se as lagartas, os caramujos, as formigas, os besouros e insetos que nem sei denominar não comerem.

“Eu quero uma casa no campo
Do tamanho ideal, pau a pique e sapê”

Isso é que realmente é utopia! A umidade acaba com tudo em uma casa de tijolos e cimento, agora imaginem de pau a pique e sapê!

“Onde eu possa plantar meus amigos
Meus discos e livros e nada mais”

Esqueça os amigos, os livros as traças comem tudo e os discos ficam sem capa e totalmente estragados com a umidade!

2 comentários:

LEONARDO BRITO disse...

Achei de muito bom gosto e muuito original a sua análise da letra com a sua vivência!!! enriquecedor, parabéns!! =)

Katia Cristina disse...

Eu agradeço, Leonardo.