sexta-feira, 8 de junho de 2007

Sonho x Realidade

Educação Sentimental II


Kid Abelha
Composição: Leoni / Paula Toller / Herbert Vianna


A vida que me ensinaram como uma vida normal /
Tinha trabalho, dinheiro, família, filhos e tal /
Era tudo tão perfeito se tudo fosse só isso /
Mas isso é menos do que tudo, /
É menos do que eu preciso/
Agora você vai embora /
E eu não sei o que fazer /
Ninguém me explicou na escola /
Ninguém vai me responder /
Eu sei a hora do mundo inteiro /
Mas não sei quando parar/
É tanto medo de sofrimento/
Que eu sofro só de pensar/
A quem eu devo perguntar, aonde eu vou procurar/
Um livro onde aprender a você não me deixar/
Agora você vai embora /
E eu não sei o que fazer /
Ninguém me explicou na escola /
Ninguém vai me responder /
Eu sei a hora do mundo inteiro
Mas não sei quando parar /
É tanto medo de sofrimento /
Que eu sofro só de pensarAquem eu devo perguntar, aonde eu vou procurar /
Um livro onde aprender a você não me deixar /
Agora você vai embora /
E eu não sei o que fazer /
Ninguém me explicou na escola /
Ninguém vai me responder /




A vida seria muito mais simples se a gente aceitasse as coisas como são. Muitas vezes remamos contra a maré, fazemos coisas que todos dizem que jamais dará certo só de teimosia.
O ser humano não tem consciência de como seria mais fácil aceitar conselhos, ouvir os mais experientes, seguir um rumo mais tranquilo. Ao invés disso, seguimos um rumo totalmente inusitado e cheio de desafios e barreiras sem a menor necessidade.
Não seria mais simples amar a quem nos ama?
Aceitar aquele emprego chato só pelo salário no final do mês?
Tomar o café correndo e sair para o trabalho achando que tudo isso é normal e que você não é o único infeliz?
Não seria muito mais fácil concordar com seus pais que aquele (a) não serve para você?


Não, meus caros amigo, ao contrário de tudo isso sonhamos com aquela pessoa que nem se dá conta de que existimos, nos casamos com quem nos dá na telha e almejamos aquele emprego, que paga pouco, mas que vai ajudar a mudar o mundo.


Meu marido costuma dizer que deveríamos nascer velhos e irmos rejuvenescendo a cada ano. Talvez eu concordasse com isso ou talvez mais do que isso, acho que as pessoas deveriam ter o direito, apenas uma vez de retornar ao passado, talvez conhecer o futuro, para que tivesse certeza de que era isso mesmo que gostaria de fazer.
A vida nos cobra uma atitude quando ainda não temos maturidade para decidir. Tenho muito mais clareza hoje do que tinha aos 19, 20 anos, que é o momento em que temos que decidir!
Chega a me dar raiva quando eu vejo meninas novas batendo cabeça e achando que têm a vida toda pela frente, quando na verdade, a vida toda se resume às opções feitas nesse momento! E não se dão conta disso!
Vão jogando a sua vida pelo ralo e dando cabeçadas uma atrás da outra e não percebem que isso tudo vai modificar todo o seu futuro!!
Eu também cometi alguns erros de que me arrependo, foram poucos, mas graves!


A vida é, de certa forma, muito cruel, pois nos dá apenas uma chance e se errarmos, não temos como consertar, apenar remediar, nunca voltar ao mesmo ponto.
Tudo que falamos ou fazemos não tem volta. Fica para sempre em nossa memória ou na memória de alguém.
Muitas vezes magoamos uma pessoa sem nenhuma intenção e pedimos desculpas. Se essa pessoa realmente nos desculpar, com certeza jamais esquecerá o que fizemos e nunca mais irá nos olhar da mesma forma, sempre ficará um rancor, algo que não se apagará da alma, do âmago da pessoa. Por isso que muitas vezes eu desisto de pedir desculpas, pois acho hipócrita achar que, nem por um momento eu desejei falar o que falei ou que a pessoa vai mesmo me desculpar, salvo quando sou mal entendida.
Eu sou uma pessoa que, de certa forma, cresceu meio que sem apego ou amizades às coisas e às pessoas. Podem me achar meio cruel, mas tudo é efêmero nessa vida, tudo passa, se transforma ou muda. Ninguém pertence à ninguém. Você não se transforma em dono de uma pessoa pelo simples fato de casar, ter filhos ou pertencer à mesma família. Então para quê sofrer se sua filha casa ou por seu filho solteiro ir morar sozinho?
A vida também não é uma verdade absoluta, a morte sim. Então, para quê sofrer tanto com a morte de um ente querido?
É certo que sentimos a sua falta, mas algumas vezes, a morte é melhor do que a vida. E somos egoísta ao tentarmos manter vivas as pessoas que não têm mais condições para isso.
Falo isso de carteirinha, pois já morri uma vez! E vou te falar uma coisa, não tem nada de bonito ou poético nisso! Não tem luzinha, nem túnelzinho, nem parente esperando, nada disso.
Alguns podem achar que estou sendo contraditória ao falar essas coisas, mas vejam a minha situação, por exemplo: Se eu tivesse morrido há 12 anos atrás eu não teria visto muitas coisas e não teria tido tantas alegrias, mas também não teria passado por tantos aborrecimentos, tantas desilusões, coisas que a meu ver, não precisava passar. Penso que não teria sido tão ruim assim. Não para mim.
Mas isso também não tem volta.
Se estou me sentindo sufocada hoje é porque não me dei conta que status tem que faz com suas próprias mãos! Fiquei idealizando e planejando a minha vida toda e esqueci de realizar.
Hoje eu tenho a percepção que bonito não é o diploma, o título. Não nos serve de nada a ideologia. Se tivesse sonhado menos e feito mais, teria sido muito melhor.
Quando falo em realizações, não quero dizer “colocar a mão na massa”, quero dizer ter um emprego normal, como todo mundo e deixar o sonho apenas no campo das ilusões. Não tentar transformar um sonho em realidade.
E é essa a principal fonte de decepção do ser humano, quando ele percebe que um sonho é apenas um sonho e que a realidade pode ser muito mais cruel do que ele sequer pudesse imaginar.

Um comentário:

antonio disse...

Não sei se gostaria de voltar ao passado! Até porque acho que não mudaria uma linha sequer na minha vida.Devo ter cometido um milhão de erros, mas se hoje eu tenho e sou mais do que há 20 anos atrás,é porque eu devo ter acertado um milhão e uma vez, o saldo foi positivo. Agora, voltar no tempo, mudar uma atitude implicaria numa série de desdobramentos desconhecidos, e além do mais, mesmo que tudo funcionasse a contento, isso não tornaria a vida chata?Um exemplo prático:
Porque o Michael Schumacher deixou de pilotar? Porque ele fez tudo certo, ganhou tudo que havia para ser ganho, a vitória passou a ser redundante, e aí, acabou a motivação.
Me deixa com meus erros porque com eles eu aprendi muito mais do que com meus acertos!