terça-feira, 26 de abril de 2011

Uniformes Kid Abelha


Eu ouço sempre os mesmos discos
Repenso as mesmas idéias
O mundo é muito simples
Bobagens não me afligem
Você se cansa do meu modelo
Mas juro, eu não tenho culpa
Eu sou mais um no bando
Repito o que eu escuto
E eu não te entendo bem

E quantos uniformes ainda vou usar
E quantas frases feitas vão me explicar
Será que um dia a gente vai se encontrar
Quando os soldados tiram a farda pra brincar


A minha dança, o meu estilo
E pouco mais me importa
Eu limpo as minhas botas
Não sou ninguém sem elas
Você se espanta com o meu cabelo
É que eu saí de outra história
Os heróis na minha blusa
Não são os que você usa
E eu não te entendo bem


http://www.vagalume.com.br/kid-abelha/uniformes.html#ixzz1KgaJ6fAe


Eu estava procurando o vídeo dessa música no site you tube, quando encontrei uma montagem de fotos feita com ela e o que me chamou a atenção foi a descrição feita pela pessoa que a publicou.
A pessoa dizia se tratar da história de um soldado!!!!
Lógico que a pessoa que falou tal coisa não conhece o sentido figurado das palavras ou pouco entendeu da música.
Então, vamos lá!


Eu ouço sempre os mesmos discos
Repenso as mesmas idéias



Pessoas que seguem um tipo de modismo ou são adolescentes - o que dá no mesmo - fazem isso. Ouvem sempre as mesmas coisas e pensam da mesma maneira para não ser diferente do grupo, para ser aceito.




O mundo é muito simples
Bobagens não me afligem



Realmente o mundo é muito simples se você segue um modelo pré-definido, sem questionamentos, sem conflitos.


Você se cansa do meu modelo
Mas juro, eu não tenho culpa
Eu sou mais um no bando
Repito o que eu escuto



Só o resumo de tudo que eu já havia dito.

E eu não te entendo bem



Talvez porque essa pessoa pertença a outro bando, seja diferente.


E quantos uniformes ainda vou usar


Talvez aqui seja o "X" da questão, quando é colocada a palavra uniforme, ela não está em seu sentido literal, mas podemos identificar um  Punk, um Rockeiro ou um pagodeiro pelas suas vestimentas.


E quantas frases feitas vão me explicar


Outra coisa de "bandos": maneira de falar, gírias próprias.




Será que um dia a gente vai se encontrar
Quando os soldados tiram a farda pra brincar



Será que um dia a gente vai se encontrar quando não usarmos mais uniformes diferentes, será que nos encontraremos quando as máscaras cairem... 


A minha dança, o meu estilo
E pouco mais me importa



Mais uma vez aparece a "marca" do "bando", da turma a que pertence.


Eu limpo as minhas botas
Não sou ninguém sem elas



A coisa do "soldado", caiu como uma luva, pois soldados seguem ordens, mas entender a coisa das botas sem ter vivido na década de 80 e ter participado da coisa toda é realmente difícil.
Havia um estio usado na época com booties - que hoje eu acho simplesmente horríveis - como a Madonna em "Who's that girl".
Eles eram usados com absolutamente tudo, até com vestidos e saias e havia uma versão masculina também, embora eu achasse meio gay.


Você se espanta com o meu cabelo


Sem comentários, né gente!
É só dar uma passada pela década que a gente pensa que todo mundo saiu de uma linha de montagem, todos com aqueles ninhos de passarinho na cabeça!


É que eu saí de outra história


Mostra claramente que a pessoa pertence ou a outra geração ou pertence a outra tribo.


Os heróis na minha blusa
Não são os que você usa
E eu não te entendo bem



Outra febre na época eram as camisetas com as bandas que faziam sucesso e, mais uma vez vemos que o autor está falando com uma pessoa mais velha ou de outra "tribo" - o que pode dar absolutamente no mesmo.




Eu podia ter falado isso para o meu pai quando pintei meu cabelo de azul e ele perguntou quanto tempo ia demorar para eu voltar a ser normal.
Tadinho, morreu sem ver isso acontecer...

4 comentários:

✿ chica disse...

Vim te desejar um lindo dia!beijos,chica

Roderick Verden disse...

Gostei da letra, q eu não conhecia.
Gostei tb da sua análise.
O q não gosto é de seguir moda. Porém,infelizmente, na adolescência segui... cabelos longos, calças pantalonas, roupas coloridas...e ai de quem não seguisse moda naquela época: final dos anos 60 e começo dos 70!

Carla Fernanda disse...

Oi Katita, passando para deicar um beijinho doce.
Carla

Katia Cristina disse...

Amigos
Obrigada pela presença, mesmo na minha ausência.