segunda-feira, 11 de abril de 2011

Encontro de primavera






Foi no velório de Márcia que João e Adriana se encontraram.
Adriana tinha sido madrinha do casamento dos dois e agora Márcia se fora, deixando um vazio na vida dos dois e da pequena Angélica, que mal entendia o que estava acontecendo.
- Mamãe está no xéu – dizia a pequenina para todos.
Adriana passou a visitar a pequena quase todos os dias e João se acostumou com a sua presença pela casa.
O tempo passou e, após dois anos de convivência, João e Adriana resolveram se casar e acabar de criar a pequena Angélica juntos.
Embora não quisesse tirar a pequena da sua confortável casa, Adriana achou melhor não viver na mesma casa que a amiga e resolveu vender a casa e mudar-se para um bairro mais afastado, porém mais calmo.
Logo que chegaram com a mudança caiu uma tempestade.
Adriana achou que era sinal de boa sorte, pois a chuva lavaria tudo que ficou para trás, mas logo um vento forte bateu fazendo com que a veneziana batesse na parede do lado de fora, quebrando-a e fazendo com que a chuva entrasse e molhasse várias caixas com roupas e livros.
Adriana ficou chateada, mas acabou se conformando.
Adriana e João levaram semanas para colocar todas as coisas no lugar, mas se sentiam felizes, pois finalmente tinham espaço para fazerem um belo jardim.
Aos finais de semana, a família saia para comprar mudas para plantar em seu quintal.
Apenas três meses após a sua mudança, a bóia da caixa d’água estourou e, mais uma vez, tudo ficou alagado e novas perdas vieram.
Os problemas com vazamentos pareciam insolúveis!
Foi quando começaram os problemas na parte elétrica da casa.
Adriana e João não entendiam como uma casa recém construída podia dar tantos problemas, mas ainda assim tentavam resolver.
Mal “tapeavam” um problema, aparecia outro e mais outro.
A umidade da casa acabou sendo favorável aos cupins que destruíram todos os móveis da casa.
Adriana não conseguia mais trabalhar! Estava mesmo desanimada! Tinha dias que mal conseguia se levantar da cama.
Logo começaram as brigas. O casal não se entendia mais.
Os problemas se acumulavam, o belo jardim ficava cada dia mais abandonado, o tempo passava e Angélica crescia sem que ninguém desse conta disso.
Nada mais parecia normal!
Adriana começou a beber, fumar demais e pouco se importava mais com nada, pois, por mais que tentasse fazer, algo sempre dava errado e nunca conseguia ter uma vida normal.
Eles perderam tudo, até sua dignidade.
Os anos passaram e Adriana só se deu conta disso quando Angélica veio lhe contar que estava grávida.
Tudo parecia um caos na vida daquela família até que a criança da Angélica nasceu.
Quando Angélica entrou com sua linda menina pela porta foi como se uma imensa luz clareasse todo o ambiente.
Adriana e João se olharam e não se reconheceram, pois tinham envelhecido enquanto lutavam para permanecer vivos.
Nunca mais os problemas se eternizaram e a luz emanada da pequena Jéssica trouxe paz para a vida daquela família.



Imagem: Google

Um comentário:

Ligéia disse...

Por um momento achei que ia dar em desgraça. Felizmente, teve um final feliz. Interessante como a gente se envolve nas histórias...