segunda-feira, 13 de setembro de 2010

Luz dos meus dias






Ficastes alheios ao mundo,
Esperei.
Falavas comigo sem som de palavras,
Sofri.
Estivestes comigo apenas em presença,
Sorri.
Em gestos e sonhos esperei,
Em fartas memórias me apeguei,
E agora não estais mais aqui.

Penso nos momentos que nunca vivi,
Nas palavras que nunca falei
E na esperança que jamais divulguei
De um dia retornar ao ninho.

Minhas esperanças e sonhos se foram,
Mas, após tudo que passastes,
Agora, e só agora podes me ouvir!

Falarei contigo enquanto viver,
A ti contarei tudo que não pude dizer.
Tu agora poderás entender todos meus anseios
E nunca mais me sentirei só outra vez.

5 comentários:

Maria Betânia disse...

Incrivel, ontem mesmo falei disso com alguém, as tais palavras que nunca dissemos e tornou-se tarde demais para dize-las...

.
Sobre a marmota:
Uia, eu percebi que muitas pessoas usam este facebook, mas afinal o que Portugal tem contra o orkut?
.

Estas duas semanas prometem ser do caramba e estou sem tempo pra muitas coisas, mas estou pondo minha vida virtual em ordem...
(...ao menos esta)rs

Luma Rosa disse...

Fui no seu outro blogue e não achei o sistema de comentários :) Acho que tirou porque não carregou. Uma receita super prática e fácil!
Deixar para valorizar as coisas depois que não temos mais, parece que é algo peculiar ao ser humano. Não sei porque criamos barreiras e não vivemos a vida integralmente. Boa semana! Beijus,

Katia Cristina disse...

Beta

A vida é perder, se fosse diferente não teria e o que mais perdemos nessa vida é tempo para dizer que ama antes que seja tarde.

Katia Cristina disse...

Luma

Essa pessoa foi a que eu mais dei valor nessa terra e é um dos motivos por eu ser atéia.

Katia Cristina disse...

Luma

Já coloquei os comentários de volta no blog