quarta-feira, 1 de setembro de 2010

Isso pode?



O estado do Rio de Janeiro aderiu à ecológica tentativa de salvar o planeta restringindo nos supermercados o uso de sacolas  plásticas . Numa das principais redes de lojas , a cada cinco produtos adquiridos você ganha  R$ 0.03 (TRÊS CENTAVOS)  se abrir mão da bolsa.
Tá certo :  Eu já suspeitava que  era um miserável . Mas o governo tentar me seduzir com TRÊS CENTAVOS é passar  atestado .  Bom , pelas minhas contas , se eu comprar 334 produtos , tenho de desconto  R$ 2.00 , ou seja , 1 quilo de arroz.  Aí é só entrar com uma picape dentro do supermercado,  parar ela com a caçamba virada  para o caixa e despejar os 335 itens lá dentro (334 e mais o quilo de arroz).
Sexta-Feira  fui ao mercado comprar umas coisinhas para fazer um macarrão de forno. Estava de mochila e comprei dez  itens . Na hora de pagar disse a menina do caixa:
_ São dezenove Reais e sessenta e cinco centavos
Eu então  retruquei :
_ Não querida , são R$ 19.59. Se você não reparou eu guardei as compras na mochila, se são dez itens eu tenho seis centavos de desconto. EU QUERO MEUS SEIS CENTAVOS!!!
Aí  você pergunta: Mas você fez isso por pura pieguice e pão-durismo? Não!








Acontece que , enquanto nos impõem o uso de mochilas , bolsas e etc.. , nossos ilustres candidatos a deputado, senador, presidente espalham pela cidade milhares de  galhardetes  dos mais diversos tamanhos como se pode ver na foto.  Galhardetes  feitos de um plástico muito mais grosso que o das sacolas (E portanto mais não biodegradável) e uma armação de madeira (desflorestamento) .
As bolsas afinal , servem para que transportemos nossos víveres com o mínimo de conforto. Uma outra rede de supermercados estampa em cada bolsa a foto de uma criança desaparecida.
E os  galhardetes servem para que? Além de  enfeiar a cidade estampam a figura do nobre candidato, que é sempre um amigo do pleito , sorridente com seu número embaixo.
A saúde pública inexiste, a escola publica é uma droga e eu pago a segunda maior carga tributária do mundo. Então vejo o galhardete e pergunto: Esses caras tão rindo de que?
Só se for da minha cara!



2 comentários:

A. Reiffer disse...

Muito crítico e consciente teu blog! Parabéns!

Katia Cristina disse...

Obrigada, mas o texto que vc comentou é do Lobo da Estepe, agradecemos o comentário.