terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

A natureza é irritante – Parte 3: Um dia na praia






Existe coisa mais irritante do que ir à praia?
Para uma pessoa como eu ir à praia é necessário encher um porta malas de coisas absolutamente indispensáveis: um guarda-sol enorme (não é qualquer guarda-sol, ele tem que ser quase uma barraca), uma cadeira de pés altos (porque eu detesto encostar na areia), um isopor cheio de água, um balde para me molhar (já que eu não me atrevo a entrar no mar), chapéu, livro, óculos de sol, protetor solar, cangas (notem que no plural), chinelo, toalhas, ...
Só a preparação para o passeio já me consome o suficiente e já me deixa irritada!
Depois de conseguir colocar toda essa “parafernalha” no carro, eu pego um enorme engarrafamento e aproveito para “fazer uma sauninha” antes de chegar à praia.
Depois de chegar à praia, tenho que encontrar um lugar para estacionar, o que uma missão quase impossível.
Lógico que só se acha vaga num lugar bem longe que é para ter que carregar toda tralha até ficar cansado e com sede!
Chegando à praia, escolho um lugar onde  acredito estar livre da principal praga da areia: as crianças. – como se fosse possível estar livre de uma criança correndo desembestada e jogando areia para todos os lados.
Começo então, a abrir o buraco na areia para fixar a barraca. E tem que ser um senhor buraco, pois a barraca é enorme!
Depois de desmontar a cadeira, cobri-las com as cangas, está na hora da diversão: ficar me escondendo debaixo do guarda-sol, enquanto o sol muda de posição.
De vez em quando, eu pego o baldinho e vou até a beirinha para me molhar.
Não é realmente divertido?
Depois de um dia inteiro “cozinhando” debaixo do guarda-sol, eu tenho que recolher tudo e pegar outro engarrafamento para voltar para casa.
Chegando em casa, me sinto ardendo, cansada e nada, mas nada desestressada, pelo contrário, sinto como se o dia tivesse sido inútil, pois me aborreci com as crianças que passaram correndo, com a bolinha do frescobol, com os cachorros que faziam caquinha na areia, com a mulher que gritava com os filhos,...
Realmente praia seria um lugar muito agradável, se fosse deserta.












Foto by Katia Martins

4 comentários:

Professora Carla Fernanda disse...

Boa tarde Kátia!
Aqui em Aracaju tem muuuuitas praias desertas.
Beijos,
CArla Fernanda

Chica disse...

rssssss...detesto praias movimentadas e com panorama bundal por todos os cantos,rsrs...


Gosto de paz e tranquilidade ,mas adooooooooooooooooooooro praia! beijos,tudo de bom,chica

Roderick Verden disse...

O bicho do mato aqui nunca foi a praia. Mas, se eu morasse perto de alguma, iria, só quando estivesse deserta, já q detesto multidão.

Muito interessante o q vc falou Kátia. Todavia, eu adoro tomar sol e, mesmo não sabendo nadar, curto muito água, então, seria prazeroso entrar no mar.

Katia Cristina disse...

Gente
Perto da minha casa tem uma praia de nudismo, essa está sempre vazia!