sábado, 12 de fevereiro de 2011

Amar: verbo intrasitivo?





Algumas vezes basta um olhar,
Outras vezes um sorriso.
Algumas vezes não dá para fugir,
Em outras, não queremos.
Mas o que nos impulsiona?
O que nos faz imãs de pessoas que nos repelem?
Mas o que importa?
Se na verdade o que importa é a conquista,
O desejo de se sentir vivo outra vez!

Algumas vezes basta sonhar,
Outras, basta sentir.
Algumas vezes queremos apenas estar,
Em outras nem isso.
Basta saber que ainda somos,
Que ainda sentimos.
O que importa se não é possível?
O que importa se não se concretizará?
Basta apenas voltar a sonhar,
Basta apenas voltar a sorrir.

Um comentário:

A. Reiffer disse...

"Falas de amor, e eu ouço tudo e calo.
O Amor na humanidade é uma mentira.
É. E é por isso que na minha lira
De amores fúteis poucas vezes falo."

O amor pode ser tudo, inclusive isso que disse o Augusto dos Anjos. Abraços!