segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

SAC - Serviço de Atendimento ao Consumidor



Com a implantação do Código de Defesa do Consumidor, os SACs passaram a ser obrigatórios e faziam um canal direto entre o consumidor e as empresas.
Quem já não ouviu falar de um vizinho que reclamou de uma caixa de leite estragada e recebeu uma embalagem com 12 caixas?
Pois bem, esses tempos se foram.
Meu vizinho reclamou para a SKOL que tinha uma lata de cerveja estragada entre as tantas que comprou para as festas de fim de ano e a fábrica respondeu prontamente mandando um carro com um funcionário e uma latinha de cerveja. A gente também não sabe se o funcionário resolveu sonegar o restante e entregar apenas a lata para substituir a estragada, mas o fato é que ficou muito mal para a empresa e este ano ele optou por comprar da BRHAMA, pois achou muito antipático por parte da empresa.
O que as empresas devem lembrar que a vida é uma rede social e que cada pessoa conhece, pelo menos 5 pessoas, que podem falar mal delas e formar uma rede de boatos que certamente vão denegrir a imagem da empresa - seu bem mais precioso.
No caso do meu vizinho a rede se estende, pois ele tem 6 irmãos e a esposa 5. Sem contar os sobrinhos e os amigos...
Este ano os familiares estranharam a troca da marca da cerveja e ele explicou com detalhes o acontecido no ano anterior. 
Conclusão: Numa festa para mais de 50 pessoas a BRHAMA foi a estrela.
Será que essas pessoas gostaram do sabor da novidade?
E se a SKOL mandou 1 caixa e o funcionário entregou apenas 1 cerveja de que é a culpa? Do SAC que não fez o retorno com o cliente para medir o nível de satisfação.
Que coisa feia, né?




Pensando em não passar o Natal com cabelos brancos, comprei uma tintura para cabelos, castanho escura, da marca Nouvelle. 
Eu estava tranquila, pois já havia usado a marca e o resultado tinha sido melhor do que o esperado, mas qual foi a minha surpresa ao lavar os cabelos e perceber que a tintura não fez efeito.
Corri para a caixa e não encontrei a bisnaga, já tinha jogado no lixo do banheiro junto com os papéis higiênicos e não ia meter a minha mão. Entretanto, aprendi no curso de logística que o produto pode ser rastreado pelo código de  barras, então, entrei em contato com a empresa e passei o número da caixa.
Tudo que consegui foi um sinto muito, mas sem o número do lote não podemos fazer nada.
Achei uma puta falta de boa vontade e comprei uma tintura de outra marca e passarei a dizer para as pessoas não comprarem essa tal de Nouvelle pois além de não ter funcionado, eles não são simpáticos ao resolver problemas.












O mesmo aconteceu com minha mãe, só que dessa vez ela tinha todos os dados.
Entrei em contato com a Cor&Ton e relatei o problema, passei todos os dados e recebi um e-mail pedindo que ligasse para um 0800 que quando a gente liga não consegue falar ou que passasse o meu telefone.
Passei o telefone da minha mãe umas 3 vezes e parece que a coisa caiu mesmo no esquecimento, pois ninguém ligou.
E agora? Qual é a desculpa para não trocar o produto defeituoso?




Meu filho comprou no dia 08/12/11 uma sandália Havaiana igualzinha a esta.
Segundo a propaganda, as sandálias Havaianas não soltam as tiras e não tem cheiro, entretanto, no dia 21/12, já estava desta maneira:






Como vocês podem ver, a tira está solta!
Sem contar o transtorno de estar em uma cidade estranha e ter que sair procurar uma sandália nova para ele, pois fica praticamente impossível caminhar com a sandália desse jeito.
Assim que cheguei de viagem, entrei em contato com a empresa que me mandou um questionário que não tinha mais tamanho, mas tudo bem.
Depois de mais ou menos uns 5 e-mails, ainda não sei se a empresa pretende ou não trocar o produto.
Hoje pela manhã resolvi enviar a foto da sandália para que eles vissem o estado da mesma com apenas alguns dias de uso.
O que eu acho mais engraçado, é que ele sempre usou aquele modelinho branco, mais baratinho e nunca teve esse problema, foi só comprar um modelo mais caro, comprado numa loja de shopping e não durou nada.
A gente tem um monte de direito que não serve para nada, pois as 3 empresas que eu entrei em contato ainda em dezembro do ano passado, nenhuma ainda me apresentou nenhuma solicitação, com exceção da Nouvelle que me apresentou um sinto muito.
Bem, como nesse mundo vivemos todos conectados, muita gente vai saber do que se passou comigo e, talvez as pessoas pensem duas vezes antes de comprar esses produtos.

2 comentários:

Roderick Verden disse...

Katia, só não concordo com vc no tocante a ter que devolver mais de uma lata de cerveja por uma que estava estragada, no mais concordo contigo plenamente. E , sobre havaianas, eu comprei há mais de 8 meses uma dessas, branca, me custou 8 reais, uma pechincha. Um conhecido me falou que era fria, mas ele se enganou, claro. Estou muito contente com ela, legítima ou não havaiana.rs

Katia Cristina disse...

Roderick

Vou dizer pq não concordo com a Skol:
Primeiro, pq várias pessoas podem ter percebido que a cerveja estava ruim e jogaram fora, depois tem o constrangimento de servir bebida ruim para convidados.